quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Chamados para Chamar

Por uma cultura vocacional

 

 

Em setembro de 2013, nos reunimos à equipe do SAV (Serviço de animação Vocacional OMI) juntamente com nosso Padre Provincial Francisco Rubeaux. Ele nos exortou a criar um “SAV Tenda” (stand móvel) que acompanhe e esteja presente nos ambientes em que se encontram as juventudes, com o objetivo de encorajar-lhes a um encontro com Jesus, o Missionário do Pai. Durante este encontro, fizemos memória dos nossos animadores vocacionais, que nos precederam e realizaram um lindo trabalho. Demos Graças à Deus por cada um deles e nos sentimos continuadores da mesma missão.

No dia 8 de dezembro deste mesmo ano, por ocasião da abertura do triênio OMI, o nosso Superior Geral lançou uma inquietante carta:

“Um Carisma essencial. Prometo oferecer todo meu apoio, do Governo Central e da Administração Geral à todos os que se comprometam a convidar os jovens a serem Missionários Oblatos de Maria Imaculada, irmãos e sacerdotes. O faço, não só porque me preocupa a diminuição dos membros da congregação, mas também e, sobretudo, porque vejo o que somos na Igreja e o vital que é nossa presença para os pobres. Estamos animados por um carisma que é único e especial na Igreja, que nos aproxima muito dos pobres, dos marginalizados, dos esquecidos, ao povo que a sociedade ignora e o povo que não se sente aceito na Igreja. Nós mostramos ao mundo um rosto de Jesus muito humano, cheio de compaixão e solidariedade. Atrever-me-ia dizer que nosso carisma se situa no coração da Igreja e, por isso mesmo, no coração mesmo do Evangelho. Seria uma negligência se não continuássemos, de modo entusiasta e audaz, a convidar aos jovens a que vivam como religiosos consagrados e missionários, sacerdotes e irmãos, dentro do nosso carisma. Por acaso o Papa Francisco não cativou o mundo fazendo o que os Oblatos tem feito durante 197 anos?”.


Diante de tais apelos e de acordo com as orientações do Diretório da Província do Brasil – nas páginas 33 e 34 que transcrevemos abaixo – queremos dar continuidade ao trabalho das equipes anteriores implementando as seguintes diretrizes para longo e curto prazo:

1 - Objetivo geral: 

- Vocacionalizar as missões OMI.


2 - Objetivos específicos:

  • Incentivar a oração pelas vocações;
  • Promover a animação do carisma;
  • Despertar interesse pelo ministério da Igreja;
  • Acompanhar os jovens que manifestem interesse pela Congregação;
  • Deixar claro o que é a vida religiosa;
  • Ajudar a discernir pelos Oblatos, ou pela Diocese, ou pelo ministério leigo;
  • Colocar material vocacional em revistas e jornais sobre o fundador, a história da Congregação;
  • Formar equipes vocacionais incluindo leigos;
  • Formar equipe vocacional nas paróquias, aéreas missionárias ou pastorais Oblatas;
  • Acompanhar grupos de jovens;
  • Promover Despertar Vocacional, encontros, retiros e semanas missionárias com os candidatos;
  • Visitar as famílias dos candidatos;
  • Participar de encontros vocacionais promovidos pela CNBB e CRB;
  • Ser presenças nos espaços juvenis;
  • Produzir materiais de animação vocacional;
  • Organizar um banco de dados dos Vocacionados;
  • Sistematizar roteiros de encontros vocacionais;
  • Impulsionar a dinamização do triênio OMI;
  • Angariar recursos humanos e materiais para a produção de materiais vocacionais.

Percebe-se que este tem sido o nosso sonho e esperança, e queremos enriquecer nossa equipe com sua colaboração e participação, respondendo às seguintes perguntas?

  1. Quais as suas sugestões para a equipe do SAV?
  2. Podemos contar com a sua colaboração? Em que? 
  3. Dos objetivos acima em qual deles você pode cooperar?
  4. Outras considerações acerca da animação vocacional?
  5. Poderia indicar os contatos de duas pessoas que possam nos ajudar no SAV e outras duas para fazer parte da rede de comunicadores OMI?


Muito obrigado pela sua participação neste processo de construção e dinamização do SAV, reafirmando sempre que todo Oblato é um animador vocacional. 

Por fim, ao visitar várias missões OMI, temos visto e escutado relatos fantásticos da presença e testemunho OMI. A não preocupação com a animação vocacional põe em risco a continuidade e presença missionária junto aos pobres.

Como afirmava Padre João Bernardo Duhamel: “Os OMI tem um bem e não qualquer bem. Somos herdeiros de um carisma a serviço dos pobres e precisamos cuidar bem deste Dom que Deus nos deu”.

Que o Senhor nos faça fecundos!
SAV OMI