quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Vocação e Missão dos Jovens

 Amados jovens, não vos contenteis com nada menos do que os mais altos ideais! Não vos deixeis desanimar por aqueles que, desiludidos da vida, se tornaram surdos aos anseios mais profundos e autênticos do seu coração.



A carta que o Papa João Paulo II escreveu em 1985, faz menção ao Evangelho do jovem rico (Mc 10, 17-22), creio que para respondermos sobre a missão e vocação de cada jovem seja necessário recorrer a este belo texto.
Ressalto, sobretudo, a pergunta que o jovem faz: "que devo fazer para ganhar a vida eterna?" esta pergunta do jovem rico, afirma João Paulo, " continua a fazer cada jovem. Ver aquilo que realmente dita em sua vida. O que devo fazer? O que fazer para que a minha vida tenha sentido? ". O jovem pede uma resposta definitiva, de peso, e recorre ante as próprias dúvidas, anseio, esperança, àquele que verdadeiramente tem a resposta, Jesus Cristo. 

Continua o texto que Jesus fitou-o (olhou-o) com amor. Este olhar amoroso percorre toda a saga do homem para com Deus. Deus que após criar o homem e a mulher "viu que tudo era muito bom" (Gn 1, 31). O olhar do criador se faz ressoar no olhar de Jesus Cristo àquele jovem e a cada jovem. Olhar selado na sua própria cruz.
A vocação e missão de cada jovem inicia-se nisto, na consciência de ser amado, de ser amado eternamente e escolhido desde toda a eternidade. Esse olhar dá sentido à vida, pois dele advêm o convite: Segue-me. 

O convite de Jesus Cristo é feito à todos, segui-lo é o caminho e a vocação da Igreja universal (cf LG). Para o jovem é mais do que simples projeto. A vocação está posta na vontade de Deus, o jovem ao perguntar quer saber: "Qual é o seu plano com relação a minha vida, o seu plano de criador de Pai? Qual é a sua vontade? Eu desejo realizá-la ". 

Qual a minha vocação, permeia a pergunta, em uma fascinante e apaixonada busca interior de cada jovem. Não só para a vocação sacerdotal e religiosa, mas a vocação subjaz de cada pessoa, a vocação à vida e vida em plenitude. Esta encontrada em Jesus Cristo, "eu sou o caminho, a verdade e a Vida" (Jo 14, 6).

Quando os jovens põem a sua profissionalidade ao serviço dos verdadeiros valores, eles podem prestar um serviço à toda juventude. E quando vos apresentam palavras e modos de viver anti-evangélicos, hão de ter a coragem de dizer 'não ' . "Fazer-se significa recusar tudo o que de negativo vos é oferecido e pôr a vossa criatividade e o vosso entusiasmo ao serviço de Cristo ", afirma João Paulo II, nisto consiste a santidade. Só caminha para a santidade, quem como o jovem do Evangelho, percebeu o olhar amoroso de Deus, olhar que contempla de modo especial os mais pequenos, mais necessitados deste mundo.

Segue-me, diz Jesus, muitos jovens poderiam perguntar: mas para onde? A resposta é clara, afirma João Paulo II, "para ir ao encontro do homem, mistério insondável; e para ir ao encontro de todos os homens, imenso oceano. Isto é possível numa Igreja missionária, capaz de falar às pessoas e, sobretudo, capaz de alcançar o coração do homem porque lá, naquele lugar íntimo e sagrado, se realiza o encontro salvífico com Cristo".

Este é o caminho que Jesus Cristo e, por conseguinte, a Igreja fiel aos seus ensinamentos nos chama e nos convida. Não se deve adiar mais, o momento é agora, a missão já iniciou. "Sim, é a hora da missão! Dia após dia recebereis um novo estímulo que vos permitirá confortar os que sofrem e levar a paz ao mundo. 

Muitas são as pessoas que a vida maltratou, excluídas do progresso econômico, sem um teto, uma família ou um emprego; muitas se extraviam atrás de falsas ilusões, ou perderam já toda a esperança. Contemplando a luz que refulge no rosto de Cristo ressuscitado, aprendei por vossa vez a viver como "filhos da luz e filhos do dia" (1Ts 5,5), mostrando a todos que "o fruto da luz consiste na bondade, justiça e na verdade (Ef 5,9)".

Você já teve coragem de chegar até aqui. Então, está esperando o quê?


Ficha Vocacional, é só preencher:





Fonte do texto: Irmãs Apostolinas